sexta-feira, 25 de março de 2016

Já ouviram falar nela - Amendoeira da Praia

Olá, confesso que nunca ouvi falar e olha que tenho um pé destes aqui em casa e detalhe, vejo muito por aí onde vou, depois de tantos anos resolvi dar uma pesquisada e vejam o que encontrei à respeito.
Achei interessante o assunto e tenho certeza que algum de vocês não conheciam também, então está aí, vamos aproveitar os benefícios que ela nos causa e nos Pássaros também. Grande abraço à todos.



Classificação científica:
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Myrtales
Família: Combretaceae
Gênero: Terminalia
Espécie: T. catappa
Nome binomial: Terminalia catappa.

A amendoeira-da-praia (Terminalia catappa L. Combretaceae;) é uma árvore de grandes dimensões que pode atingir 35 m de altura.

É típica de regiões tropicais.

A sua origem é controversa, estando a Índia e a Nova Guiné entre as hipóteses apontadas.

Em Angola é conhecida como figueira-da-índia. 

Conhecida popularmente como chapéu-de-sol, é muito comum por todo o Brasil, a partir da região sudeste, pois necessita de calor para se desenvolver. Também é extremamente comum em regiões praianas. Em Santos (SP) é conhecida como cuca.

Tem a copa bastante larga fornecendo bastante sombra, e também é possui folhas caducas.

É cultivada como árvore ornamental e os seus frutos comestíveis, embora um pouco ácidos, são muito apreciados pelos morcegos. A sua madeira é vermelha, sólida e resistente à água, tendo sido utilizada para fazer canoas na antiga Polinésia. 

Nome Popular: Chapéu-de-sol, Sete-copas, Amendoeira, Amendoeira-da-praia, Amêndoa, Amendoeira-brava, Amendoeira-tropical, Guarda-sol, Noz-da-praia, Terminália, Amendoeira-da-índia, Amendoeira-do-Pará, Anoz, Árvore-de-anoz, Árvore-de-noz, Cuca, Castanhola, Guarda-chuva, Chapéu-de-praia, Amendocira.

USO MEDICINAL ( HUMANOS )

Indicações: Disenteria, diarréia, cólicas intestinais, câncer, afecções do fígado e vesícula biliar, verminoses, ejaculação precoce. Hemorróidas, febres gástricas, febres biliares, vermes intestinais, emulsões peitorais.

Propriedades: Antioxidante, adstringente, antiespasmódica, laxante, antibiótica, anticlastogênica, anticarcinogênica, afrodisíaca, anti-séptica, vermífuga.

Partes usadas: Folhas, frutos, raízes, casca, sementes e óleo do fruto.

Modo de usar

- folhas: cólicas e hemorróidas; 
- raiz e casca: disenteria, febres gástricas e biliares e vermes intestinais; 
- óleo doce da amêndoa: emulsões peitorais; 
- fruto verde: adstringente; 
- fruto maduro: laxante.



FRUTO SECO

Terminalia Catappa: o nome é estranho? Certamente a planta não é desconhecida sua.

Esta planta é conhecida no Brasil por vários nomes comuns, de acordo com a região.

Ela foi introduzida no Brasil pelos Portugueses trazida da Índia no período de colonização do nosso país, adaptou-se perfeitamente aos diversos climas do nosso gigante e hoje se ninguém falar nada muita gente vai continuar pensando que ela é nativa, mas não é, é uma planta exótica. No exterior o nome mais comum é Indian almond leaves, mas não é difícil ver a planta sendo chamada de folhas milagrosas ou folhas mágicas.

A solução veio do Oriente. Com o advento da Internet vazou um segredo centenário Asiático. O uso das folhas da Terminalia Catappa na água. Na medicina chinesa essas folhas já ocupam posição de destaque há séculos. É comuns o comércio dessas folhas, com preços que chegam, no mercado norte-americano, a US $ 7,00 um pacote com 10 unidades.

Modo de Uso em Pássaros

Cada folha pode tratar até 56L (10G) de água. Simplesmente coloque a folha inteira em qualquer recipiente( bem limpo previamente) com água e a deixe lá por pelo menos 5 dias ou até 10 dias para obter melhores resultados.
A água irá gradualmente tornar-se cor de chá nos dias subseqüentes, primeiro uma cor suave intensificando com o decorrer dos dias. Se você tem um recipiente com menos de 56L pode-se aplicar as folhas em separado e ir diluindo a solução no recipiente que se quer tratar, mas pode-se ainda diminuir a proporção das folhas em relação ao conteúdo do recipiente.
As folhas devem ser removidas após 10 dias de uso visto que todas as suas propriedades benéficas já foram liberadas.



FOLHA MADURA FOLHA SECA

Suas folhas, às vezes com até 25 cm de comprimento, devem ser colhidas do pé, lavadas e secadas à sombra. Folhas caídas devem ser evitadas, pela possibilidade de contaminação por microrganismos existentes no solo.
Quando sua folha é colocada na água, passa a liberar uma substância de coloração marrom, rica em ácido húmico, ácido tânico e alguns flavonóides, especialmente quercetina e kaempferol.
Essa substância reduz o pH da água. Uma única folha em 60 litros de água potável com pH inicialmente neutro, baixa o pH para 6.6 em 3 ou 4 dias.
O ácido húmico é considerado um importante anti-viral. Auxilia o organismo na produção de macrófagos mais fortes.
O ácido tânico possui várias propriedades farmacológicas, sendo empregado como bactericida, anticarcinogênico e antioxidante. Possui efeito comprovado contra a herpes labial ou vaginal.
O kaempferol é empregado como anticoagulante, antialérgico, anti-inflamatório, antivirótico e diurético.
A quercetina é uma substância natural em frutas e vegetais, considerada um dos mais poderosos anti-inflamatórios naturais.

Efeitos obtidos com uso da Terminalia Catappa

Alto poder antifúngico; 
Alto poder antibactericida; 
Alto poder antiparasiticida;

Resultados obtidos na NET à respeito do Pássaros

Em vasilhas plásticas com capacidade para 10 litros.

Adicionar uma folha. Após 4 dias a água já esta considerada pronta, apresentando uma coloração amarronzada e pH por volta de 6.6, é colocada na banheira dos pássaros.
Em nenhum momento houve refugo no banho em função da coloração, sabor ou odor da água.
O banho, sempre com essa água, é facultado aos pássaros 3 vezes na semana.
As folhas permanece ativa, liberando substâncias por até 10 dias. Após essa data deve ser descartada e substituída por outra, pois não influencia mais o pH ou altera a coloração da água e nem libera mais substancias.
Em períodos de crias coloca-se também para se banharem com esta água, pois quando as fêmeas estão com ovos e se banham nesta água, elas mesmas fazem uma espécie de desinfecção nos ninhos e ovos.
Também é utilizada a para tudo. Lavar e deixar de molho os ninhos, gaiolas e utensílios etc...
Após longo período de uso não observei efeito negativo do uso da terminalia catappa na água do banho. Eliminado grande problemas sanitários no local dos pássaros.
Considerado bastante evidente o resultado alcançado no controle de fungos e ácaros.
Considerado possível uma influência positiva no controle de outras patologias, dada a ausência de qualquer problema de saúde com os pássaros submetidos a esse tratamento.

Espero, dessa forma, contribuir de forma mais natural, para uma melhor qualidade sanitária dos meus pássaros.
Lembrando sempre que nada disso terá efeito se não for dado às aves uma boa variedade de alimentos, boa higiene, água limpa de boa qualidade e principalmente muito amor e carinho.